Participe de uma caçada ao Mapinguari, o lendário monstro da Floresta Amazônica.

Um monstro escondido na floresta está apavorando os moradores de vilas próximas do Rio Negro.
Caçadores, seringueiros e até mesmo crianças que brincavam na floresta, sumiram sem deixar vestígios.
Investigando os locais dos desaparecimentos, alguns caçadores identificaram pegadas de um animal grande, com garras longas. Essas pegadas surgiam perto das pegadas das vítimas, continuavam por alguns metros, e sumiam sem deixar vestígios.
Um grupo de seringueiros, voltando de uma coleta de látex, viu um grande vulto pendurado em uma árvore, escondido nas sobras da densa folhagem.
O vulto tinha uma pelagem castanha escura, e um cheiro de carne podre se espalhava pelo local.
Com medo dos recentes casos de desaparecimentos, eles desviaram do caminho que passava por baixo daquela árvore e fugiram correndo.
Durante uma troca de produtos com os índios da região, os ribeirinhos contaram desses ataques, e um velho índio, atento à conversa, levantou-se e disse uma palavra que fez todos os outros se calarem: “Mapinguari”.
As atenções voltaram-se para o velho, que contou a história do monstro que assombrou a sua tribo quando ele ainda era curumim:

O monstro atacava na floresta, assim como ele fazia agora.
Alguns índios mais ágeis conseguiram escapar do ataque do monstro e o descreveram como sendo grande, peludo, com um olho negro no meio da cara, e uma boca enorme, tão grande que ia até o meio da barriga, e o bicho fedia a podridão.
O pajé da tribo fez uma reunião com os antepassados, e eles contaram que o nome daquela fera era Mapinguari.
Os índios pediram ajuda às divindades, e Tupã atingiu as armas da tribo com um raio.
Uma daquelas armas, uma borduna, ficou com a madeira cinza, e o pajé concluiu que aquela arma, a Borduna de Tupã, seria capaz de ferir mortalmente o Mapinguari.
O cacique armou-se com aquela arma fortalecida e entrou na floresta junto com um grupo de guerreiros para matar o monstro.
Depois daquele dia, o Mapinguari nunca mais atacou ninguém daquela aldeia, porém, aqueles guerreiros nunca mais retornaram, ninguém soube do paradeiro deles e nem da Borduna de Tupã.

Depois que ouviram esse relato, índios e ribeirinhos trocaram outros relatos sobre o Mapinguari, os índios descobriram que o monstro não conseguia atravessar rios, nem mesmo os rasos, e os ribeirinhos perceberam que o Mapinguari não se aproximava de acampamentos com fogueiras muito altas.
Aquela reunião de comércio se tornou uma reunião de guerra, os mais experientes criaram uma estratégia com riachos e fogueiras para cercar o monstro, e os mais valentes entraram na floresta para achar a Borduna de Tupã e matar o Mapinguari.


Agora começa a caçada ao Mapinguari.

Quant.:
  
 

Compre por R$ 10,00

Você pode comprar o jogo "Mapinguari" clicando no botão acima.
Assim que você clicar neste botão, você sera direcionado para a estrutura do site BCash!, onde você poderá consultar o custo de envio que será adicionado à compra (Sedex ou PAC dos Correios), escolher forma de pagamento e parcelamento.

Todas as informações dessa transação serão confidenciais, sendo guardadas apenas dentro do banco de dados do BCash!; para a Confraria dos Observadores chegará apenas um e-mail, também enviado pelo BCash!, informando o produto comprado, o nome do comprador e o endereço para envio.
Você será informado por e-mail sobre a aceitação do pagamento e do envio do produto, podendo consultar o número de rastreamento pelo site dos Correios.
Somente depois do recebimento do produto o seu pagamento será descontado dentro do BCash!.

Regras da Caçada

O jogo começa com as cartas sendo embaralhadas e colocadas na mesa com a face para baixo, organizadas em quatro colunas e quatro linhas.
Escolhe-se aleatoriamente a ordem dos jogadores, e oito pontos de ataque são dados para o Mapinguari.

Na sua vez, cada jogador pode virar até 3 cartas na mesa.
Se conseguir uma combinação de cartas, ele pega essas cartas como sua defesa e passa a vez.
Se ele virar uma carta que não combina com as cartas já viradas, essas cartas continuam na mesa com a face virada para baixo, um ponto de ataque do Mapinguari é utilizado, esse jogador deverá devolver (se tiver) uma de suas cartas de defesa (podendo escolher se coloca a face para cima ou para baixo), e então passa a vez.

Combinações de Cartas
• 3 Cartas de Fogueira ou 3 Cartas de Rio: O jogador conseguiu cercar o Mapinguari e pega as 3 cartas para a sua defesa.
• 2 Cartas de Fogueira + 1 Carta de Borduna ou 2 Cartas de Rio + Carta de Borduna: O jogador enfrentou o Mapinguari e pega 1 Carta de Rio ou de Fogueira (de acordo com a combinação) para a sua defesa e deixa as outras cartas na mesa, virada para baixo.
• 3 Cartas de Mapinguari + Carta de Borduna: O jogador matou o Mapinguari e ganha o jogo.
• 3 Cartas de Mapinguari + 3 Cartas de Rio ou 3 Cartas de Mapinguari + 3 Cartas de Fogueira: O jogador conseguiu capturar o Mapinguari e ganha o jogo.

Emboscadas do Mapinguari
Sempre que os Pontos de Ataque do Mapinguari atingirem uma Emboscada, ele retira da caçada o jogador com a menor quantidade de Cartas de Defesa.
Em caso de empate nos jogadores que foram emboscados, eles deverão seguir a ordem de jogo virando cartas na mesa, uma carta por vez, e sem desvirar a carta, até que um dos emboscados vire uma carta de Mapinguari. Ele sairá do jogo, as cartas voltam a ser viradas com a face para baixo na mesma posição em que estavam e o jogo continua normalmente a partir do próximo jogador.
Pontos de Emboscadas:
Após 3 ataques, o 4º jogador é emboscado.
Após 5 ataques, o 3º jogador é emboscado.
Após 7 ataques, o 2º jogador é emboscado.
Após 8 ataques, o 1º jogador é emboscado, e o Mapinguari ganha o jogo.

Para maiores informações, entre em contato por e-mail clicando aqui,
adicione o Facebook da Confraria dos Observadores,
ou adicione roj_ventura no Skype.

Mapinguari é um jogo
para 1 a 4 jogadores,
a partir de 8 anos,
com 15 minutos de duração.

Este jogo é formado por 8 marcadores de emboscada, um folheto de regras e 16 cartas plastificadas.